terça-feira, 31 de março de 2009

Tudo Claro


Tudo claro
Ainda não era o dia
Era apenas o raio

Leminski fala sobre os poetas

video

Sem Budismo

Poema que é bom
acaba zero a zero.
Acaba com.
Não como eu quero.
Começa sem.
Com, digamos, certo verso,
veneno de letra,
bolero. Ou menos.
Tira daqui, bota dali,
um lugar, não caminho.
Prossegue de si.
Seguro morreu de velho,
e sozinho.

Paulo Leminski

domingo, 22 de março de 2009


Se

se
nem
for
terra

se
trans
for
mar

sábado, 21 de março de 2009

conhecer e despertar o interesse


Este blog foi criado com o objetivo de estudar a obra de grandes autores da POESIA MARGINAL.
A poesia marginal foi resultado de um comportamento fora do sistema, um fenômeno específico que surgiu na poesia brasileira, em fins dos anos 60.
As histórias literárias estão cheias de exemplos de grandes poetas ou grandes artistas que, em seu tempo, foram “marginais”, e hoje gozam de consagração mundial

Nós alunos do 1ºB estudaremos obras do poeta marginal Paulo Leminski.
Com o objetivo de conhecer e despertar o interesse de outras pessoas pelos poemas marginais.
Paulo Leminski Filho sempre chamou a atenção por sua intelectualidade, cultura e genialidade. Estava sempre à beira de uma explosão e assim produziu muito. É dono de uma extensa e relevante obra.